Biografia

Uma banda com mais de trinta anos de carreira, dezenas de sucessos lançados, uma agenda de shows ininterrupta e lotada pelo Brasil inteiro e que conta com seus integrantes originais na sua formação. O Roupa Nova é um fenômeno da música brasileira.

O grupo começou sua lista de sucessos com a música “Canção de Verão” na década de 80 e desde então emplaca hits nas rádios e telenovelas brasileiras, com um público fiel e que se renova a cada ano.

Formada por exímios músicos, o Roupa Nova já lançou 22 CDs e 05 DVDs, alcançando a impressionante marca de mais de cinco milhões de produtos vendidos.

A banda já teve dezenas de músicas incluídas em trilhas de novelas, o que garante uma forte presença de suas canções no imaginário brasileiro.

Canções como “Dona” em Roque Santeiro, “Coração Pirata” em Rainha da Sucata, “Começo, meio e fim” em Felicidade e “Whisky a Go Go ” em Um sonho a mais tornaram clássicos no imaginário popular brasileiro e são sempre pedidas nos shows.

Com as mudanças sofridas pela indústria fonográfica no início dos anos 2000, os músicos decidiram criar um selo próprio – o Roupa Nova Music – gerenciando e distribuindo o próprio trabalho.

Em 2004, lançaram o CD e DVD RoupAcústico, que obteve a incrível marca de 220.000 DVDs e 320.000 CDs vendidos, arrematando as principais premiações do mercado da música na época.

Em 2009, realizaram um sonho antigo: gravar no célebre estúdio Abbey Road em Londres. O projeto “Roupa Nova em Londres” recebeu o prêmio Grammy Latino na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro.

Em 2010 lançaram o projeto comemorativo “Roupa Nova 30 anos”, celebrando uma história de sucessos.

Em 2012 lançam o DVD “Cruzeiro Roupa Nova”, onde interpretam suas músicas num ambiente único: um transatlântico em alto mar.

Teclados e Vocal

Cleberson

Nasci em Manhumirim, Minas Gerais, onde morei até vir para o Rio, com quatro anos de idade. Meu pai, músico nato, mesmo sem conhecimento teórico musical, tocava alguns instrumentos, tais como: acordeon, violão, pandeiro etc...

Eu e minha irmã sempre o ouvíamos tocar e num desses momentos, pedi um acordeon de presente. Obviamente eu não sabia o que estava fazendo, mas meu pai acreditou e comecei a ter aulas, o que fiz até ouvir Day Tripper, com os Beatles. Foi quando a música surgiu, de verdade, em minha vida.

Peguei emprestado, ad eternum, o violão de um tio, abandonei o acordeon e comecei a estudar por conta própria, desenfreadamente o instrumento. Era Jimi Hendrix, Eric Clapton, George Harrison e todos os guitarristas da época. Comecei a tocar em um grupo, onde tive que tocar órgão, até por já ter estudado acordeon.

Foi então que me apaixonei por piano e, conseqüentemente, todos os instrumentos de tecla. Como se pode notar, minha principal influência foram os Beatles e alguns outros grupos da época. Hoje, minhas influências são muitas, pois aprendi a gostar de todo tipo de música, do pop-rock à música erudita.

Outro fato interessante e maravilhoso foi, graças a Deus, ter ganhado o primeiro Grammy da música gospel no Brasil. Embora não tenha muito tempo para dedicar à leitura, já li alguns livros, mas não tenho preferência por nenhum. Cinema, eu gosto bastante, mas com o tempo que me resta entre shows e família, quase não vou. Um filme que eu gostei muito foi Guerra e Paz, de Leon Tolstoi. O gênero Western está entre os meus preferidos.

Gosto também de desenhos animados, desenho artístico, pintura, artes marciais etc… . Com relação à comida predileta, gosto de quase tudo, mas tem que ter sobremesa, principalmente doces, de qualquer espécie. O cafezinho também não pode faltar!
Um abraço a todos.
Cleberson Horsth. Casado, cônjugue Rafaela Horsth.

Teclado, violão, guitarra, voz e vocal

Feghali

Fui músico de bailes, com muita honra, pois lá aprendi a ter disciplina, ser profissional, saber tocar junto, a ter dinâmica num roteiro e não deixar a peteca cair, pra hoje em dia começar e terminar um show, com gostinho de quero mais!

Violão, guitarra, voz e vocal

Kiko

A nossa trajetória de vida vem ao longo desses anos num crescimento (GRAÇAS A DEUS!!!) constante! Viemos como todos sabem, dos bailes, que é a grande escola do músico brasileiro. Mas como nossa meta é, foi e sempre será, nossa CARREIRA, pensamos sempre em GRUPO, procurando respeitar o espaço do outro. Não é fácil, mas o ROUPA está em primeiro lugar. Hoje nossos FILHOS são amigos e vejo que eles se respeitam do mesmo modo. Éramos 6, passamos para 12, nos tornamos 24 e mais os que virão com a GRAÇA de Deus. Os 6 GAROTOS conseguiram seus OBJETIVOS. E agradeço muito também ao nosso público, eles nos ajudaram bastante.

Baixolão, baixo acústico, violão, voz e vocal

Nando

Sou carioca do Grajaú

Entrei na musica pelas mãos dos grupos dos anos 60, isso misturado com minha timidez e a consequente incapacidade de fazer amigos e de me relacionar facilmente.

Estudei no CAP da Tijuca, onde moldei minhas atitudes e minha cultura (me orgulho dela). Em seguida o Cursinho Helio Alonso e três anos de Direito na UFRJ.

Voz e percussão

Paulinho

Bem, galera, vou tentar ser o mais sucinto possível. Caso contrário, eu teria que escrever um livro. Sou Carioca da gema, signo de virgem, nascido no dia 6 de setembro no centro do Rio, mais precisamente na Sociedade Espanhola de Beneficência.

Bateria, djembe, voz e vocal

Serginho

Nascido no dia 03 de Fevereiro de 1958, no Rio de Janeiro, mais precisamente no bairro da Penha. Seu pai era trompetista e sua mãe atriz de rádio-novelas. Criado nesse ambiente ficou inevitável não seguir os passos da família no mundo artístico. Aos 5 anos, começou a tocar em latas de leite em pó, imitando todos os movimentos de seu baterista predileto e um ícone na sua vida - Ringo Starr (The Beatles).

Siga o Instagram Instagram #roupanova

Instagramveja mais