Biografia

Uma banda com mais de trinta anos de carreira, dezenas de sucessos lançados, uma agenda de shows ininterrupta e lotada pelo Brasil inteiro e que conta com seus integrantes originais na sua formação. O Roupa Nova é um fenômeno da música brasileira.

O grupo começou sua lista de sucessos com a música “Canção de Verão” na década de 80 e desde então emplaca hits nas rádios e telenovelas brasileiras, com um público fiel e que se renova a cada ano.

Formada por exímios músicos, o Roupa Nova já lançou 22 CDs e 05 DVDs, alcançando a impressionante marca de mais de cinco milhões de produtos vendidos.

A banda já teve dezenas de músicas incluídas em trilhas de novelas, o que garante uma forte presença de suas canções no imaginário brasileiro.

Canções como "Dona" em Roque Santeiro, "Coração Pirata" em Rainha da Sucata, "Começo, meio e fim" em Felicidade e "Whisky a Go Go " em Um sonho a mais tornaram clássicos no imaginário popular brasileiro e são sempre pedidas nos shows.

Com as mudanças sofridas pela indústria fonográfica no início dos anos 2000, os músicos decidiram criar um selo próprio - o Roupa Nova Music - gerenciando e distribuindo o próprio trabalho.

Em 2004, lançaram o CD e DVD RoupAcústico, que obteve a incrível marca de 220.000 DVDs e 320.000 CDs vendidos, arrematando as principais premiações do mercado da música na época.

Em 2009, realizaram um sonho antigo: gravar no célebre estúdio Abbey Road em Londres. O projeto “Roupa Nova em Londres” recebeu o prêmio Grammy Latino na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro.

Em 2010 lançaram o projeto comemorativo “Roupa Nova 30 anos”, celebrando uma história de sucessos.

Em 2012 lançam o DVD “Cruzeiro Roupa Nova”, onde interpretam suas músicas num ambiente único: um transatlântico em alto mar.

Integrantes

  • Cleberson Teclados e Vocal

    Nasci em Manhumirim, Minas Gerais, onde morei até vir para o Rio, com quatro anos de idade. Meu pai, músico nato, mesmo sem conhecimento teórico musical, tocava alguns instrumentos, tais como: acordeon, violão, pandeiro etc...

    Eu e minha irmã sempre o ouvíamos tocar e num desses momentos, pedi um acordeon de presente. Obviamente eu não sabia o que estava fazendo, mas meu pai acreditou e comecei a ter aulas, o que fiz até ouvir Day Tripper, com os Beatles. Foi quando a música surgiu, de verdade, em minha vida.

    Peguei emprestado, ad eternum, o violão de um tio, abandonei o acordeon e comecei a estudar por conta própria, desenfreadamente o instrumento. Era Jimi Hendrix, Eric Clapton, George Harrison e todos os guitarristas da época. Comecei a tocar em um grupo, onde tive que tocar órgão, até por já ter estudado acordeon.

    Foi então que me apaixonei por piano e, conseqüentemente, todos os instrumentos de tecla. Como se pode notar, minha principal influência foram os Beatles e alguns outros grupos da época. Hoje, minhas influências são muitas, pois aprendi a gostar de todo tipo de música, do pop-rock à música erudita.

    Outro fato interessante e maravilhoso foi, graças a Deus, ter ganhado o primeiro Grammy da música gospel no Brasil. Embora não tenha muito tempo para dedicar à leitura, já li alguns livros, mas não tenho preferência por nenhum. Cinema, eu gosto bastante, mas com o tempo que me resta entre shows e família, quase não vou. Um filme que eu gostei muito foi Guerra e Paz, de Leon Tolstoi. O gênero Western está entre os meus preferidos.

    Gosto também de desenhos animados, desenho artístico, pintura, artes marciais etc... . Com relação à comida predileta, gosto de quase tudo, mas tem que ter sobremesa, principalmente doces, de qualquer espécie. O cafezinho também não pode faltar!
    Um abraço a todos.
    Cleberson Horsth. Casado, cônjugue Rafaela Horsth.

  • Feghali Teclado, violão, guitarra, voz e vocal

    Fui músico de bailes, com muita honra, pois lá aprendi a ter disciplina, ser profissional, saber tocar junto, a ter dinâmica num roteiro e não deixar a peteca cair, pra hoje em dia começar e terminar um show, com gostinho de quero mais!

    Fiz 4 anos de Composição e Regência no Conservatório Brasileiro de Música (curso não acabado). Minhas influências são os Beatles com certeza,Toto, Stevie Wonder, Led Zeppelin, Cream, Milton Nascimento, Chicago, Tower of Power, entre outros. Nasci em Belo Horizonte (MG) em 26/05/1955.

    Nos meus momentos de folga (coisa rara de acontecer) gosto de ouvir R & B e todos os swingados, ler bons livros como O Caçador de Pipas, que me fez chorar! Um dos shows que mais gostei foi o do Paul McCartney no Maracanã! Foi incrível!

    Curto muito o disco Back on The Block do Quincy Jones!
    Um filme: Sociedade Dos Poetas Mortos
    Um perfume: Polo Blue e Black
    Time de coração: Fluzão(Fluminense Futebol Clube)

    Nos shows utilizo o orgão Hammond XK3 Evolution com caixa Leslie, piano elétrico Fender Rhodes,violão Takamine com pré valvulado e baixolão Takamine.
    Um agradecimento especial à equipe Hammond do Brasil, Takamine e pedais Fuhrmann.

  • Kiko Violão, guitarra, voz e vocal

    A nossa trajetória de vida vem ao longo desses anos num crescimento (GRAÇAS A DEUS!!!) constante! Viemos como todos sabem, dos bailes, que é a grande escola do músico brasileiro. Mas como nossa meta é, foi e sempre será, nossa CARREIRA, pensamos sempre em GRUPO, procurando respeitar o espaço do outro. Não é fácil, mas o ROUPA está em primeiro lugar. Hoje nossos FILHOS são amigos e vejo que eles se respeitam do mesmo modo. Éramos 6, passamos para 12, nos tornamos 24 e mais os que virão com a GRAÇA de Deus. Os 6 GAROTOS conseguiram seus OBJETIVOS. E agradeço muito também ao nosso público, eles nos ajudaram bastante.

    As minhas influências são dos GUITARRISTAS que tocam com o CORAÇÃO, com a ALMA. Se você estiver ouvindo um agora, pense em mim, chore por mim ... rsrsrsrsrsrsrsrs...

    Nasci e moro em moro em Bonsucesso (RJ). Sou carioca do SUBÚRBIO, com muito orgulho! Sabe, gosto de música boa e se for um bom rock, melhor ainda! Falar dos shows do Roupa é chover no molhado.. rs...

    Me realizei quando assisti o show do TOTO em Sampa. Foi incrível! Sou fissurado nos Beatles! É a melhor banda do mundo, escola de todos os tempos! Gosto ver filmes (quando sobra um tempinho!) e tenho um predileto: Muito Além do Jardim. E para fechar: Uso o perfume Pólo Verde e sou do time tantas vezes campeão: Fluminense!

    Utilizo nos shows Violões Takamine, guitarras MUSIC MAN LUKE , YBANES STEVE VAI. Em casa uso AMP MESA BOOG e também o MULTI EFEITO da POD XT LIVE. As cordas e paletas são da SG (são ótimas!) e não poderia deixar de agradecer o carinho que as lojas Tango sempre têm conosco!

  • Nando Baixolão, baixo acústico, violão, voz e vocal

    Sou carioca do Grajaú

    Entrei na musica pelas mãos dos grupos dos anos 60, isso misturado com minha timidez e a consequente incapacidade de fazer amigos e de me relacionar facilmente.

    Estudei no CAP da Tijuca, onde moldei minhas atitudes e minha cultura (me orgulho dela). Em seguida o Cursinho Helio Alonso e três anos de Direito na UFRJ.

    A música venceu, os bailes de subúrbio foram a grande escola. Os Famks, as condições quase impossíveis de trabalho te obrigam a melhorar sempre.

    Influências principais: todo o country rock dos 60, Eagles, Poco, Byrds. Os ingleses; The Hollies, Stevie Winwood. E claro, os principais gurus: Crosby, Stills& Nash, Jack Bruce, Jimmy Hendrix ( Noel Redding ). Ah, Brian Wilson e os Beach Boys!! No Brasil, Luis Vieira.

    Desde pequeno, empurrado e guiado por meu pai, fui um ótimo leitor!! Aconselho "O Egípcio”, " Moulin Rouge" e "A Fundação" (Asimov)!!

    Filme? Forrest Gump

    Não uso perfume.

    Fluminense de coração!

    Amo esportes, sou fã de vela (Scheidt e Torben), basquete (Michael Jordan) e futebol americano (John Elway ).

    Equipamento nos shows: Baixo de quatro cordas Fender Precision, baixo de cinco cordas Strinberg , baixolão Strinberg , baixo vertical Yamaha e violão Takamine

  • Paulinho Voz e percussão

    Bem, galera, vou tentar ser o mais sucinto possível. Caso contrário, eu teria que escrever um livro. Sou Carioca da gema, signo de virgem, nascido no dia 6 de setembro no centro do Rio, mais precisamente na Sociedade Espanhola de Beneficência.

    Aos seis anos de idade eu já dava os primeiros sinais de interesse pela música graças aos meus pais que me deram à oportunidade de conviver com som (que se chamava rádio-vitrola) e discos (de vinil muito pesados e que rodavam em 75 rpm).

    Assim eu comecei a ouvir e gostar do que eles ouviam na época. Caubi Peixoto, Ângela Maria e João Dias eram os meus preferidos da MPB, mas o que eu mais gostava mesmo era do grupo americano The Platers e de sua canção chamada Only You, com a qual cheguei até a ganhar prêmios fazendo dublagem. Até que um dia passei a entender o que dizia a letra e começar a cantá-la de verdade. Era tudo de bom!!!!!!

    O tempo foi passando e, já no primário na escola de padres do meu bairro, tive o prazer de estudar com um cara que até hoje é um grande amigo, o cantor José Augusto, com quem tive o prazer de encontrar a bem pouco tempo e participar da gravação do seu primeiro dvd ao vivo.

    Depois veio o ginásio, segunda fase dos meus estudos, mas pouca coisa mudou, pois eu continuava ouvindo e cantando as mesmas canções. Às vezes até arriscava arranhar um vilão, mas um dia cheguei à conclusão que o melhor mesmo era eu me dedicar exclusivamente ao canto.

    De repente veio o "boom" em minha vida, ou melhor, na vida de todos que gostavam de música. Surgiu um grupo que modificou costumes, idéias e que influenciou toda uma geração; Os Beatles. Até então, nada mais fantástico tinha acontecido na área musical. Tudo mudou! Todos queriam montar sua banda e, a cada minuto, surgia uma nova em cada esquina. Comigo não poderia ter sido diferente. Na escola tratei logo de arranjar uns beatlemaníacos e, assim, formamos nossa primeira banda. Ao longo dos anos, conheci novas bandas e outros músicos, até o dia que encontrei o Feghali e o Kiko, que já tocavam juntos com Luiz (baixo), Jandira Feghali (batera) e o Gean Carlos (guitarra ritmo) com quem eu fiquei por uns três anos.

    Um pouco mais tarde, me juntei ao Cleberson e ao Nando e, logo na semana seguinte, apareceu o Kiko, um baterista que eu tinha acabado de conhecer. Apesar de a banda estar montada, ainda não era exatamente aquilo que a gente buscava. Pensamos novamente no Feghali que topou na hora. Na seqüência veio o Serginho e, assim, surgia o ROUPA NOVA, que desde então é a minha vida, meu trabalho, meu orgulho e minha paixão.

    E com esse trabalho encaramos muitas dificuldades mas também muitas alegrias,como a de ouvir nossa primeira música tocar no rádio,estourar e virar hino de muitos verões. Inesquecível também foi nosso primeiro show realizado na praia do Arpoador no Rio e com toda a turma da Rádio Cidade que, na época, era a escola das FMs.

    Quanto a meus discos preferidos, todos dos Roupa Nova, é claro, todos dos Beatles, todos do Stevie Wonder, Beto Guedes, Maria Rita, Ana Carolina, Caetano, Bethânia, Roberto Carlos e muitos outros.

    Um grande beijo no coração de todos vocês!!!
    Um agradecimento especial para as Lojas Tango Music pelo apoio de sempre!

  • Serginho Bateria, djembe, voz e vocal

    Nascido no dia 03 de Fevereiro de 1958, no Rio de Janeiro, mais precisamente no bairro da Penha. Seu pai era trompetista e sua mãe atriz de rádio-novelas. Criado nesse ambiente ficou inevitável não seguir os passos da família no mundo artístico. Aos 5 anos, começou a tocar em latas de leite em pó, imitando todos os movimentos de seu baterista predileto e um ícone na sua vida - Ringo Starr (The Beatles).

    Crescendo musicalmente em todos os sentidos, seu pai não teve como não lhe presentear com a primeira bateria. Aos 10 anos, já fazia os seus primeiros bailes em festas escolares, formaturas e etc... Junto a um grande músico que, posteriormente, veio a se tornar um dos maiores maestros e arranjadores da MPB, o Lincoln Olivetti. Cresceram juntos trocando informações, experiências e tudo que pudesse enriquecer as suas formações musicais. Aos 14 anos, se juntou a um grupo de baile muito conhecido dos subúrbios cariocas, o SUPERBACANA. Com esse grupo, Serginho adquiriu toda a experiência necessária para seguir adiante. Foi uma experiência enriquecedora e indescritível poder fazer, naquele período, o que hoje o maestro Cleberson Horsth faz dentro do Roupa Nova.

    Em 1975, surgiu a grande oportunidade de Serginho enveredar por outro tipo de mercado na música: o mercado de shows, até então desconhecido pelo músico. Serginho foi convidado por um grande guitarrista, que veio a se tornar muito conhecido do público roqueiro - Marcelo Sussekind - a integrar a formação de uma banda de rock dos anos 70 chamada A BOLHA. Pouco tempo depois, a banda se uniu ao tremendão ERASMO CARLOS, para juntos realizarem uma turnê nacional, que duraria cerca de um ano e meio. Após essa turnê, a banda decidiu encerrar os trabalhos, pois os músicos já tinham outras atividades em mente.

    Com isso, Serginho decidiu alçar um vôo mais alto iniciando a sua carreira solo. Como foram tantas as exigências, sugestões e regras impostas no contrato com a gravadora, Serginho teve os dois momentos mais felizes de sua vida naquela época. O da contratação e o da rescisão. Após o desfecho dessa novela, Serginho recebeu um telefonema que mudaria totalmente a sua vida. Luis Fernando (Nando) ligou convidando-o para fazer parte da formação do grupo OS FAMKS. Como Serginho estava afastado dos palcos há algum tempo, bateu uma enorme vontade de voltar a tocar e cantar os hits americanos e nacionais e, assim, reviver o mundo dos bailes, sua grande fonte de inspiração e experiência.

    Daquele telefonema até os dias de hoje, uma vida inteira foi mudada e para melhor, pois a partir daquela união, surgiu a idéia de formar o grupo que, até hoje, é sucesso nacional e internacional e que continua embalando corações, unindo casais e formando uma outra geração de fãs - ROUPA NOVA.

    Um agradecimento especial para a Grestch USA Custon, Paiste, Evans e Vic Firth pelo apoio e parceria!

Rolando no Twitter

Indique o site


Só é possível enviar para uma pessoa por vez.